Mal de Alzheimer

login
área do
anunciante
anuncie
divulgue
seus serviços!
pt
Idioma Atual
espaço
 
Topo menu
 
 
Cadastre seu e-mail para ficar informado sobre as novidades do Guia de Massagem.
Base menu
 
 
Selo Certificado SSL

espaço


Publicado em 09/11/2015
Compartilhar com o Facebook Compartilhar
 

Mal de Alzheimer


Entenda o Mal de Alzheimer e os benefícios da massagem

 
Imagem 50 de Entenda o Mal de Alzheimer e os benefícios da massagem
Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro, ou seja, áreas específicas, como as responsáveis pela memória, linguagem, cálculo, comportamento e demais funções cerebrais começam a parar o seu funcionamento normal. Trata-se de uma doença lenta e progressiva. Não deve ser confundida com o envelhecimento natural do cérebro, pois no Mal de Alzheimer ocorrem deposições de proteínas anormais, que geram incapacidade intelectual e social, com o decorrer do tempo há incapacidade para realizar as atividades diárias, como se alimentar ou banhar sozinho.

No Brasil estima-se que cerca de um milhão de pessoas sofram de Alzheimer. A doença ocorre principalmente entre pessoas com 60 e 90 anos. O número de pacientes é estimado em 35,6 milhões no mundo. Como estamos vivendo mais, nossa expectativa de vida aumentou, consequentemente cresceu também o número de casos de doenças degenerativas cerebrais. 

Desde o início dos sintomas, como o esquecimento, até um comprometimento mais grave, com limitação de marcha e da capacidade de engolir, podem se passar de 10 a 15 anos. A doença em si não leva à morte, mas sim as complicações decorrentes do comprometimento de diversas funções.

Ainda são desconhecidas as causas da doença de Alzheimer, embora se saiba que ocorre em decorrência de um processo de perda de células cerebrais. O que se sabe é que existe uma forte relação com a idade, ou seja, quanto mais idoso, maior a chance de desenvolver a doença. O Alzheimer não tem um caráter nitidamente genético.  O que se estima é que haja a transmissão da predisposição para desenvolvê-la, o que, junto a fatores ambientais, pode ou não desencadeá-la.

Os primeiros sinais são a perda de memória, com períodos de esquecimento, principalmente de fatos mais recentes, com certa preservação de memórias mais antigas. É uma perda de memória que se caracteriza por comprometer o dia a dia da pessoa, como por exemplo, esquecimento de nomes de pessoas próximas, dificuldade de nomear objetos, esquecimentos de compromissos, gastos inadequados, problemas com leitura e escrita, entre outros. As alterações comportamentais podem ocorrer desde o início e são muito frequentes no decorrer da doença, o que se caracteriza por fases depressivas, de agitação e de agressividade, ou até mesmo delírios e alucinações e comportamentos inadequados.

O diagnóstico atualmente é feito com entrevista médica e a exclusão de outras doenças por meio de exames de sangue e de imagem (tomografia ou ressonância magnética). Não existe ainda um exame específico para o diagnóstico da doença de Alzheimer.

Quanto à prevenção, uma alimentação bem balanceada, rica em ômega 3 e com reduzido teor de gordura e produtos industrializados, associada à prevenção de fatores de riscos vasculares (hipertensão, diabetes, obesidade) e à realização de atividade física adequada (aeróbica, no mínimo, três vezes por semana), é a melhor forma de se tentar prevenir a doença. É importante também manter a mente ocupada com tarefas novas, como aprender uma nova língua, aprender a dançar, estimular o cérebro com leitura de bons livros, revistas, jogos de memória.

Nesse quadro exposto, a Massagem é um bom recurso que pode ajudar o paciente de Alzheimer, ativando a circulação, aliviando dores, rigidez, nervosismo, agitação, insônia, fazendo-o sentir-se mais acolhido pelo toque e proporcionando mais consciência de seu corpo. Também quem é responsável por seus cuidados, que muitas vezes sente-se sobrecarregado de responsabilidades e emocionalmente afetado, beneficia-se com uma boa Massagem, tendo assim um tempo para si e para cuidar de seu bem estar, alongar-se e relaxar.



Além da Massagem, a Aromaterapia pode ser de grande utilidade

 
Óleos essenciais e suas indicações:

  • Camomila Romana: potente anti-inflamatório e calmante.
  • Lavanda: regenerador celular e equilibrante do sistema nervoso, muito útil em casos de insônia e agitação, portanto, mais recomendado para uso noturno ou em crises de agitação.
  • Capim-Limão: tranquiliza a mente e dá foco.
  • Alecrim: excelente para memória fraca, grande estimulante, deve ser utilizado durante o dia para não comprometer o sono. Contraindicado para hipertensos e epiléticos.
  • Pau-Rosa: ajuda à reestabelecer as sinapses neurais quando há falhas, sendo muito útil para problemas relacionados à senilidade.
  • Noz Moscada: seu principal componente, a miristicina, atua diretamente na seratonina do cérebro (seratonina é um neurotransmissor que atua sobre o humor, sono, atividades motoras e cognitivas, temperatura corporal, liberação de hormônios, etc). Este óleo deve ser utilizado em baixa dosagem pois, do contrário, pode ser tóxico.

Consulte sempre um Aromaterapeuta, pois alguns Óleos Essenciais possuem contraindicações e, assim, poderá obter todas as orientações necessárias para usufruir dos benefícios da Aromaterapia de forma responsável e segura!




Colunista: Silvia Pirré – Psicoterapeuta

Atuação: Florais de Bach, Aromaterapia, Reiki, Aurículoterapia, Reflexologia, Massagem Relaxante com Óleos Essenciais.

Cursos: Aromaterapia

Endereço: Rua Dr. José de Queiroz Aranha, 234 – Próximo ao metrô Ana Rosa

Telefone: (11) 5083-4482 – Atendimento com hora marcada

E-mail - silvia.pirre@yahoo.com.br




    
 
 


espaço
 
Site Seguro Guia de Massagem ®