Inflamação Articular

login
área do
anunciante
anuncie
divulgue
seus serviços!
pt
Idioma Atual
espaço
 
Topo menu
 
 
Cadastre seu e-mail para ficar informado sobre as novidades do Guia de Massagem.
Base menu
 
 
Selo Certificado SSL

espaço



Publicado em 21/10/2016
Compartilhar com o Facebook Compartilhar
 

Inflamação Articular


Artrite e Artrose

 
Imagem 169 de Artrite e Artrose
A articulação é a região onde há conexão de dois ou mais ossos distintos. Por exemplos: joelhos, cotovelo, punhos, tornozelo, ombros, etc. 

As articulações ao longo do corpo não são todas iguais. Algumas são conectadas por um tecido fibroso, que cola um osso ao outro, tornando-os imóveis, como no caso dos ossos do crânio; outras são ligadas por cartilagens e permitem uma pequena mobilidade como os discos vertebrais que unem as vértebras da coluna; há ainda as articulações móveis, que normalmente são ligadas por uma cartilagem e uma bolsa cheia de líquido, chamado de líquido sinovial, permitindo amplo movimento dos ossos com mínimo atrito entre eles, como é o caso do joelho, cotovelo, ombros, etc.

Artrite é o nome que damos quando há um processo inflamatório das articulações. Os principais sintomas da artrite são dor, vermelhidão, inchaço e dificuldade para mover uma ou mais articulações.

Chamamos de poliartrite quando 4 ou mais articulações encontram-se inflamadas ao mesmo tempo. As poliartrites costumam ocorrer em doenças sistêmicas como no lúpus e na artrite reumatoide. Monoartrite é quando uma única articulação apresenta inflamação; ocorrem geralmente na gota ou na artrite séptica (artrite infecciosa).

Há mais de cem causas de artrite ou inflamação articular. A mais comum e temida é a artrite reumatoide, doença de origem autoimune que provoca grave acometimento das articulações, com grande destruição destas. Mas existe também a artrite psoriática, associada a formas graves de psoríase cutânea, a artrite gotosa ou gota, causada pelo depósito de cristais de ácido úrico (urato), a artrite reativa, provocada por infecções, a artrite que acompanha doenças sistêmicas como o lúpus eritematoso, entre muitas outras.

A artrose (do grego artros= articulação, e do latim ose= desgaste), também chamada de osteoartrite, osteoartrose ou artrite degenerativa, é uma artrite que ocorre por degeneração das cartilagens das articulações, ou seja, é um processo natural de desgaste da cartilagem. A cartilagem é um tecido que serve como “almofada” ou “amortecedor” entre dois ossos.

Imagem 171 de Artrite e Artrose
A degeneração da cartilagem na artrose ocorre, geralmente, devido ao seu envelhecimento. A cartilagem vai se desgastando ao longo dos anos, até o momento que os ossos passam a entrar em contato direto um com outro, fazendo com que o atrito dos movimentos também leve a lesão. Este processo de destruição da cartilagem, e posteriormente dos ossos, causa incapacitação da articulação afetada uma vez que qualquer movimento torna-se muito doloroso. Isso ocorre porque as células formadoras da cartilagem não se regeneram. 

Além da idade, outros fatores que contribuem para o aparecimento das artroses são: a genética, obesidade, diabetes, hipotireoidismo, questões hormonais, etc.

Embora a artrite e a artrose sejam predominantes em pessoas com idade acima de 60/70 anos, crianças e jovens também podem apresentar este problema. Quanto mais cedo começa a se tratar a doença, melhores são os resultados.

O tratamento geralmente é feito pelo uso de analgésicos, anti-inflamatórios, entre outros.

A chave da alimentação dos pacientes com artrite é seguir uma dieta anti-inflamatória. Para isto, é preciso fazer a escolha por alimentos ricos em antioxidantes, em fibras e em gorduras saudáveis, visando ajudar na redução das dores da artrite. Deve-se evitar alimentos de origem animal, como: carne vermelha, carne de porco, aves, ovos e manteiga. Já no caso de bolos, biscoitos, pães brancos, batatas e arroz branco, devem ser evitado pois tem alto índice glicêmico e podem causar inflamação das juntas.

É necessário aumentar o consumo de produtos integrais, legumes, frutas e verduras, além de nozes e castanhas que possuem alto teor de ômega 3.

 

A Aromaterapia, entre outras Terapias Complementares:

 
Imagem 170 de A Aromaterapia, entre outras Terapias Complementares:
Não podemos deixar de observar os aspectos emocionais que geram as doenças ou desequilíbrios. Nesse caso, podemos citar: a falta de flexibilidade e de “jogo de cintura”, padrões muito rígidos, dificuldade em se desapegar e se adaptar às novas situações, dificuldades no direcionamento da própria vida, etc.

O uso de Aromaterapia pode ser feito em compressas quentes locais, aliado à Geoterapia (Argila) ou em massagens suaves.

Como óleos essenciais analgésicos, podemos citar: Gengibre, Lavanda, Alecrim, Camomila, Manjerona, Cravo e Pimenta Preta.

Óleos que auxiliam na desintoxicação orgânica: Limão, Cipreste, Junípero e Erva-Doce.

Óleos anti-inflamatórios: Copaíba, Erva-Baleeira, Camomila e Gengibre.

Para dar mais flexibilidade e força de realização e desapego: Patchouli, Manjericão (ajuda a eliminar ácido úrico), Gerânio, Canela, Pau-Rosa e óleos cítricos, como a Laranja Azeda, Tangerina, Limão. 



Referencia:

 

Colunista: Silvia Pirré – Psicoterapeuta

Atuação: Florais de Bach, Aromaterapia, Reiki, Aurículoterapia, Reflexologia, Massagem Relaxante com Óleos Essenciais.

Cursos: Aromaterapia

Endereço: Rua Dr. José de Queiroz Aranha, 234 – Próximo ao metrô Ana Rosa

Telefone: (11) 5083-4482 – Atendimento com hora marcada

E-mail - silvia.pirre@yahoo.com.br





espaço vazio
espaço
 
Site Seguro Guia de Massagem ®